©  by IFAP. All rights reserved.

Por Johny Mange

 

4.º Argumento

É verdade que, segundo Lucas 21.24, estamos a viver nos “tempos dos gentios”; por isso, após o Arrebatamento da Igreja, não haverá mais chance de salvação aos gentios, mas somente terão oportunidade de salvação os judeus?

 

A INTERPRETAÇÃO ERRADA: Muitos citam o texto de Lucas 21.24 para dizer que vivemos atualmente nos “tempos dos gentios”. Para tais intérpretes da Bíblia, os tempos dos gentios findam-se com o Arrebatamento da Igreja; por conseguinte, o Senhor apenas tornará a tratar com Israel, dando-lhe chance de salvação. Portanto, os gentios não terão outra oportunidade de salvação após o Arrebatamento, pois os tempos deles se completaram, ficando estes, no entanto, sem chance de salvação.

 

CORRIGINDO A INTERPRETAÇÃO ERRADA: A frase “os tempos dos gentios” está em Lucas 21.24 e refere-se ao tempo em que Jerusalém estava dominada pelos gentios: E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem. Essa era teve início em 586 a.C., quando Nabucodonosor governava a Babilônia e, consequentemente, exercia o seu poder gentio sobre Israel. Isso continuou ocorrendo até a destruição de Jerusalém no ano 70 d.C. e irá continuar durante a Grande Tribulação. Os “tempos dos gentios” não acabaram quando o moderno Estado de Israel tomou Jerusalém em 1967, como alguns ensinam, porque a cidade estará sob domínio gentio durante o período da Grande Tribulação. Durante o segundo período da Grande Tribulação — os últimos três anos e meio —, novamente os judeus serão perseguidos e expulsos se Jerusalém (cf. Dn 9.27; Mt 24.15-22). Esse período de tempo será os últimos dias dos “tempos dos gentios”, quando o Anticristo tiver no poder e iniciar sua perseguição aos judeus. Somente “o tempo dos gentios” terá fim na Segunda Fase da Segunda Vinda de Jesus — após a Grande Tribulação (Zc 14.1-4; Ap 19.11-21) —, quando o Salvador Jesus estabelecerá o Milênio — Seu Reino literal e visível, o foco da criação, sobre todo o mundo (cf. Dn 2.44; Ap 20.1-6; Is 35). Depois desse tempo, Jerusalém nunca mais estará sujeita ao domínio dos gentios.²⁵ Portanto, há carência de provas bíblicas à alusão que os tempos dos gentios findam-se no Arrebatamento. Na certa, pelo embasamento das profecias da Escritura e pela fartura de textos sagrados, os tempos dos gentios culminam na Segunda Fase da Vinda de Jesus, que se dará no fim da Grande Tribulação.

        Não adianta forçar uma passagem da Bíblia (como é o caso desta supracitada) a fim sustentar uma visão errada de um líder ou de uma denominação. Seria melhor agir cristãmente e corrigir o erro doutrinário, expondo a realidade (Pv 28.13; Gl 2.11-18). Como a liderança possui uma terrível altivez — atitude orgulhosa de quem se crê, mesmo estando no erro, superior a todo o mundo, principalmente em relação aos modos e às palavras com que se expressa, quando a verdade vem à tona, o argumento é reduzido a cinzas (cf. Pv 16.18), pois lhe faltam provas históricas e bíblicas (1Co 4.6; Pv 30.5,6). Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova (Mt 15.14).

 

 

Voltar à Página Anterior

 

Bibliografia

 

²⁵ Profecias de A a Z, pp. 202,203, adaptado.

Os Santos da Tribulação