©  by IFAP. All rights reserved.

O Mau Caminho da Televisão

 

Por Johny Mange

 

       b) A maioria dos programas de televisão contém violência e reflete em crianças e adolescentes, também resulta em homicídios na sociedade

            Uma criança testemunhará mais de 200 mil atos de violência na televisão, incluindo 16 mil assassinatos, antes que atinja os 18 anos de idade. Os programas de TV, para crianças, contêm cerca de 26 ações violentas a cada hora. Em média, durante o horário nobre, há cinco atos violentos. O Estudo Nacional sobre Violência na Televisão fez um perfil dos programas de televisão numa ampla gama de canais, e concluiu: 57% de todos os programas e 66% dos infantis continham violência. Em 1992, o médico Brandon Centerwall, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Washington, EUA, coletou dados demográficos de vários países. Ele descobriu que as taxas de homicídio duplicaram no período de 10 a 15 anos após a introdução da televisão, mesmo que a televisão tenha sido introduzida em épocas diferentes em cada um dos locais examinados. O aumento só ocorreu depois que a televisão chegou, e não pode ser explicado por outros fatores sociais.[20]

 

Exame Bíblico

           As Escrituras afirmam: “A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se [...] os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso” (Mt 6.22,23). Logo, como serão as ações de uma criança, que, evidentemente por meio do corpo, assistiu a 200 mil atos de violência na televisão, incluindo 16 mil assassinatos e 26 ações violentas a cada hora? Por isso há tantos crimes bárbaros sendo praticados por crianças atualmente; outras se tornam criminosas, traficantes, delinquentes e vivem à míngua, sujas, drogadas, desesperançadas consigo mesmas e com a humanidade, pois vivem nas ruas e nas sarjetas de muitas cidades em todo o mundo. E quem foi o fator preponderante para viverem nesse submundo? — A TV, categoricamente! Vivem nas trevas como títeres nas mãos de Satanás porque desde a infância atraíram todas as obras malignas para si, dentre as quais violências, assassinatos, ações violentas e uso de drogas por intermédio da tevê. Hoje, suas vidas resplandecem os atos diabólicos do reino das trevas a cada instante, visto que foram atraídos a pecar mediante a “concupiscência dos olhos” (1Jo 2.16).

          Os pais devem ensinar os seus filhos a trilharem no caminho da vontade do Senhor: “Instrui ao menino no caminho em que deve andar” (Pv 22.6). A criação dos filhos num ambiente cristão, consagrado e com fervor espiritual é tarefa dos pais, de modo que é um ato contínuo até o Evangelho ser fincado e compreendido: “E ensinai-as [as palavras do Altíssimo] a vossos filhos, falando delas em tua casa, andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te” (Dt 11.19).

          O príncipe das trevas entrou nos lares pela televisão. O trono de Satanás — a tevê — está presente nos lares e controla as famílias como fantoches (Ap 2.13). Elas comem todas as imundícias satânicas com prazer e voracidade quando se posicionam em frente à TV. Aos mil, tais iguarias são piores do que as do banquete de Belsazar! (Dn 5).

           Os cultos domésticos acabaram. Timóteo foi ensinado desde a infância a ter a fé verdadeira, a amar o Senhor Jesus, a debruçar-se durante sua vida na Palavra de Deus (2Tm 1.5; 3.14,15). Os cultos domésticos converteram Timóteo num fervoroso cristão até a morte! No presente, trocaram o altar da oração pelo altar da televisão! E veja o resultado nos filhos de inúmeros crentes...

            Não há como nascer um avivamento espiritual — cujo possa tremendamente quebrantar essa geração perversa e incrédula — entre os crentes atuais, já que todos os avivamentos provenientes dos Céus nasceram pela Palavra e pela oração (Hc 3.2; At 1.14). Onde está a oração, a leitura da Palavra e o temor nos lares de hoje? A TV os abocanhou e esparziu o veneno de toda a espécie de males no coração, na alma, no entendimento e nas forças deles! Por meio da tevê, adquiriram “olhos maus” (Pv 28.22; Mt 6.23), “olhos malignos” (Pv 23.6), “olhos cheios de adultério” (2Pd 2.14), “olhos zombeteiros” (Pv 30.17) e “olhos altivos” (Pv 6.17). Por conta disso, entraram na doutrina do Diabo e dizem escancaradamente “não faz mal” (Ml 1.8). Dentre muitos males, a televisão é um deles — que os lançou no abismo, mas não veem! (Ez 7.25,26).

 

c) Horas diante da televisão ocasiona uma vida amedrontada e cheia de traumas

              As crianças passam, em média, 3,5 horas por dia em frente à televisão. Em estudo feito pela Unesco, o tempo que as crianças gastam assistindo à televisão é, pelo menos, 50% maior que o tempo dedicado a qualquer outra atividade do cotidiano, como fazer a lição de casa, ajudar à família, brincar, ficar com os amigos e ler [...] Aqueles que assistem a muitas horas de televisão acreditam que o mundo é tal como é visto através dos programas, ou seja, com violência, estupro, assassinato, uso de drogas, etc., o que pode ocasionar um medo constante de ser vítima de agressão. A criança pode se retrair, tornar-se insegura e desenvolver traumas.[21]

 

Exame Bíblico

            Crianças que ficam muitas horas diante da televisão pensam que o mundo é tal como visto; conseguintemente, retraem-se, tornam-se inseguras e desenvolvem traumas. Isso é prova que a tevê é um instrumento do Diabo para propagar mentiras, fantasias, assombros. O Todo-Poderoso salienta: “Filhos dos homens [...] até quando buscareis a mentira? [...] porque nenhuma mentira vem da verdade” (Sl 4.2; 1Jo 2.21). Esse aparelho de mentiras e de influências demoníacas, abominável aos olhos do Deus da Glória, deve ser tirado de uma vez por todas das casas dos cristãos (Dt 7.26). Das duas uma: Ou a televisão destrói a família, ou a família destrói a televisão!

         É possível ensinar as crianças nas veredas de Cristo sem arrancar-lhes a infância, pois a Escritura assevera: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino” (1Co 13.11). O Senhor almeja tão somente a pureza na parte doutrinária de nossas crianças (Pv 20.11); deseja que das bocas delas saiam o perfeito louvor (Sl 8.2). Samuel foi criado no caminho de Deus (1Sm 2.11). Rode, desde a infância, participava dos cultos de oração na Igreja Primitiva (At 12.13,14). Timóteo, desde menino, aprendeu as Santas Escrituras para o caminho da salvação (2Tm 1.5; 3.14,15).

              Concernente às crianças atuais, será que a televisão fará verdadeiros Samuéis, Rodes e Timóteos? — Jamais! Está fazendo crianças amedrontadas, retraídas, inseguras e traumatizadas. Por isso, é um instrumento de destruição, fonte de poder satânico a fim de aprisioná-las nas redes do Maligno; desta forma, duvidarão do poder divino e nunca obterão o novo nascimento.

           Enquanto a TV arranca a infância e desenvolve problemas seriíssimos nas crianças, o Altíssimo é “socorro bem presente” (Sl 46.1) e faz habitar em segurança (Sl 4.8). O Nome do Deus de Jacó protege (Sl 20.1). Ele faz cessar as guerras até ao fim da terra; quebra o laço e corta a lança; queima os carros de fogo (Sl 46.9). O Senhor ampara o fiel (Sl 91.4).

           Logo, é sobre o Deus único e verdadeiro — o Deus da Bíblia — que os pais têm de fundamentar a vida de seus filhos.

 

d) Cresce o número de divórcios e a repulsa de gerar filhos por causa da televisão

           O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), atuante em 26 países e no Caribe, relatou uma pesquisa de 115  novelas apresentadas na televisão entre 1965 e 1999, no horário das 19h às 21h, e percebeu que, na maioria delas,aparecem cenas de traições, infidelidades e divórcios mediante às protagonistas femininas. Isso fez o número de divórcios e separações crescerem nos lares brasileiros das mulheres de 15 a 49 anos. Outrossim, nas novelas há repulsadeter filhos — o que reflete, na sociedade, as mulheres não sentirem mais desejo de geraremfilhos;conseguintemente,tornase um desequilíbrio social e uma desestruturação da família.[22]

 

Exame Bíblico

            A família é a mais remota instituição da humanidade, a qual foi criada pelo Todo-Poderoso antes da entrada do pecado no mundo (Gn 1.26-31). O matrimônio é digno de honra (Hb 13.4). O Eterno faz chover bênçãos sobre uma família que O honra (Sl 128). Os filhos são herança do Senhor (Sl 127.3), e Ele ordena aos pais que os instruam nos propósitos divinais (Is 54.13; Sl 78.4).

             A formação moral, ética e espiritual dos filhos tem seu sustentáculo no modelo apresentado pelos pais (Cl 3.20). A família é o pilar da sociedade, e precisa ser guardada de enfraquecer-se e dissolver-se (1Tm 5.8; Mc 10.6-9). Por isso, Deus odeia o divórcio (Ml 2.16) — e, sendo a família a célula mater (célula mãe, ou principal) da humanidade, os casamentos são, segundo a Palavra de Deus, indissolúveis até a morte de um dos cônjuges (Rm 7.1-3). Só pode haver um segundo casamento com a morte de um dos cônjuges, ainda assim, com a anuência do Senhor (1Co 7.39); caso haja o segundo casamento estando um deles vivo, estará a viver em adultério e debaixo da condenação (Lc 16.18; 1Co 7.10,11,39).

             A televisão está derribando este monumento da vontade divina, que foi erguido pelo Criador no mundo: a família. Os números de divórcio e a repulsa de gerar filhos cresceram após a inserção da TV na humanidade. Os valores cristãos refletidos na família estão a cada dia sendo ofuscados pelas trevas da televisão. Ao invés de valorizar a família e salvaguardá-la, a tevê quer manchar o casamento, apresentando-o como ultrapassado e embaraçoso, igualmente quer pôr os filhos como pedra de tropeço na vida dos pais. Como Deus se agradará de um aparelho que almeja destruir a maior instituição levantada por Ele no mundo?

             Quando a televisão é colocada dentro de casa, os demônios acorrentam a família num cárcere à beira do abismo, no qual vive ao sabor da anarquia moral e satânica que ela própria atraiu para si. Por conseguinte, trancafiada e sob o caos do Maligno à borda do despenhadeiro — é soterrada por uma avalancha de transgressão à vontade do Senhor Jesus, em que tudo que antes era prejudicial à família hoje é apresentado pela TV como “normal”, tal como o homossexualismo, o lesbianismo, a poligamia, o adultério, a prostituição, a troca de cama, a masturbação, a fornicação (sexo antes do casamento), a orgia sexual (bacanal ou suruba), sexo ilícito, traição, infidelidade, etc. Tudo isso que, sem sombra de dúvida, é condenado pela Palavra do Senhor, cresce assustadoramente nas famílias; portanto, os pais têm comido o pão que a televisão amassou e os matrimônios estão no bico do corvo! (Lv 18.22; 1Co 6.10; Rm 1.26,27; Mt 19.4-6; Rm 13.9; 1Co 6.13; 1Co 7.2-4; Gl 5.19 e 21; 1Co 7.9; 6.18).

          Quer a sua família salva desses males? Liberte-se da masmorra da televisão, fuja da iminência desse abismo e cumpra a verdade do Altíssimo em Deuteronômio 7.26. O elevado propósito do lar cristão é: “Servir ao Senhor” (Js 24.15) 

 

                   e) Anúncios e comerciais de televisão difundem maus hábitos alimentares

        Pesquisadores do Laboratório de Nutrição e Comportamento do Departamento de Psicologia e Educação da Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo [...] [unidade da USP] [atestam que] maus hábitos alimentares estão associados a diversos danos à saúde, entre eles, a obesidade, cujos índices têm crescido nas últimas décadas como resultado de aumento no consumo de alimentos com alta densidade calórica e redução na atividade física. Há demonstrações de que, entre outros diversos fatores, o tempo que um adolescente passa assistindo à TV pode estar associado à obesidade: cada hora diante da TV pode ser associada, em média, a um aumento de até 2% na prevalência de obesidade. A obesidade torna-se um problema de saúde pública agravado pelo fato de a TV exercer grande influência sobre os hábitos alimentares e promover o sedentarismo [atividade ou sistema de vida que exige pouco movimento; caracterizado pelo imobilismo, pela falta de movimentação muscular] [...] os meios de comunicação influenciam o estilo de vida e, principalmente, o comportamento alimentar [...] cerca de 60% dos alimentos veiculados na TV estavam classificados na categoria gorduras, óleos e açúcares. Assim, os dados do presente estudo sugerem que algumas medidas devem ser estudadas, no sentido de alterar o padrão de exposição à TV em jovens e adolescentes, já que, aliadas a políticas públicas de educação alimentar, poderiam prevenir o aumento da taxa de obesidade da população e, assim, reduzir muito os gastos públicos com os problemas de saúde desencadeados pelo excesso de peso e sedentarismo.[23]

 

Exame Bíblico

             A televisão é prejudicial até a saúde do ser humano! Os comerciais da TV difundem maus hábitos alimentares; por consequência, desencadeiam problemas, tais quais obesidade e sedentarismo. Posteriormente, novelas, seriados, minisséries, reality shows, telejornais e diversos programas expõem um padrão de beleza e forçadamente faz a sociedade segui-lo, de maneira que aqueles que não seguem são zombados, ridicularizados e tachados como “fora de moda”, sentindo-se inferiores.

      Em resumo, a televisão induz a mal hábitos alimentares por meio de seus comerciais e propagandas; consequentemente, tais costumes resultarão em obesidade e sedentarismo. Finalmente, depois de todo o mal que a tevê contribuiu — ela ainda debocha! A tevê, sinceramente, em muitos casos, faz a sociedade abestada! 

              Glutonaria é “comer por vício; comer muito e insaciavelmente”. Do mesmo modo que o Deus da Glória condena a bebedeira aos Seus santos (Gl 5.21; 1Co 6.10; Pv 23.29-35), também o faz com a glutonaria. O ato de comer por vício deve ser evitado a todo custo e, caso seja necessário, por meios que vão aos extremos (Pv 23.2). Os que se entregam à embriaguez e a glutonaria cairão na pobreza e na sonolência, que os farão vestir-se trapos (Pv 23.20,21). Comer muito, de forma insaciável, é obra da carne; logo, os que praticam tais coisas não herdarão o Reino dos Céus (Gl 5.21). Todo aquele que está liberto por Cristo Jesus vigia e guarda o seu coração para não ser carregado de glutonaria (Lc 21.34).

          Não seja escravo da televisão — a “tarrafa de Satanás”, que, lançada nas casas de muitos, os fazem indefesos e tragados como peixes!

          O filho de Deus é guiado pelo Espírito Santo (Sl 143.10; Rm 8.14), e não por homens amaldiçoados que lutam contra o Deus da Bíblia; nem é conduzido por mulheres que querem ditar modas e comportamentos, pois “o mundo passa, e sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (1Jo 2.17). Tais atrizes e apresentadoras estão possuídas de demônios, por isso entregam, vendem e mostram seus corpos como objetos descartáveis, a pecar contra o Senhor e contra si mesmas, retraindo a maldição do Diabo (1Co 6.18; 1Ts 4.3; 1Jo 3.8-10). Elas têm os corações e os intuitos contaminados pelas podriqueiras do Maligno e são instrumentos dele neste mundo. Os padrões de beleza e comportamento para as mulheres cristãs já estão descritos na Palavra de Deus (1Tm 2.9,10; 1Pd 3.3-5; Dt 22.5; Jr 4.30; 1Co 10.31; 1Pd 1.15,16; Pv 31.10,30; 1Ts 4.3; Pv 11.22). Quem guarda a Palavra verdadeiramente não provará as podridões da TV e tirará esse esgoto infernal de sua casa. 

            Essa é a posição daquele que está pautado nos propósitos de Cristo, uma vez “que é espiritual e discerne bem tudo, mas de ninguém é discernido” (1Co 2.15). Quem não aceita tal posição, infelizmente, é escravo da televisão e fica querendo dar um jeitinho de encobrir suas iniquidades, mas “Deus não tem o culpado por inocente” (Na 1.3).

 

 

 

6 ─ A TELEVISÃO É O “DEUS” DA SOCIEDADE E A TRANSFORMA EM MARIONETE

 

           Regida pelo imaginário produzido pelas imagens da televisão, da mídia e da publicidade, a sociedade brasileira tornou-se violenta. O ato produzido, todavia, não é físico, mas comportamental, e afeta diretamente o estado de espírito do ser humano, causando depressão, apatia, intolerância ao próximo, preconceito, falta de ética, entre outros sentimentos.

            Para Maria Rita Kehl — doutora em Psicanálise pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo, e autora de diversos livros — a TV encarnou a posição de “deus” para a sociedade, pois é onipresente, abrange todos os espaços públicos e desperta importante fonte de desejo. “A televisão assumiu o poder da religião. As formações religiosas não conseguem mais promover o pensamento unificado que a televisão provoca”, ratifica a psicanalista Maria Kehl.

              Além do mais, consoante a doutora, a TV afeta o comportamento humano.[24]

 

             a) A televisão encarnou a posição de “deus” da sociedade. Em todos os dias e em todas as questões, o Deus Altíssimo tem de assumir o primeiro lugar da humanidade (Lc 10.27; Ef 1.20-23). Apenas o conhecimento dEle e a Obra gloriosa consumada na cruz são capazes de outorgar a vida eterna aos homens (Jo 17.3). No entanto, a televisão arrancou esse sentimento puro e sublime dos seres humanos. Na era presente, ela é o “deus” dos povos. Indubitavelmente, qualquer coisa que arrancar o primeiro lugar do Deus Eterno do coração do homem é idolatria! (Cl 3.5).

           Em se tratando da TV como “deus”, depreende-se que é “muito admirada e respeitada; é muito buscada e desejada; possui maior expressão em ditar normas e comportamento entre a sociedade”. E não é desta forma que a tevê age atualmente? Fale mal dela que até os supostos crentes se revoltam... Quem controla os seres humanos como marionetes e dita os modos em que todos devem andar, sacando deles totalmente a razão e não os deixando pensar por si? Sem sombra de dúvidas, a TV é um ídolo maldito cujo abocanha todos os homens com as suas artimanhas. O espírito de Satanás controla a sociedade através da TV. Assim como Moisés falava com Javé face a face (Dt 5.4; 34.10), o Diabo, através da televisão, fala cara a cara com os povos, cegando-os e persuadindo-os a andarem conforme a sua intenção maligna!

              Hoje em dia, as pessoas acham impossível viver sem televisão! Os intentos, os ensinos e a vontade do Maligno são prazerosos às pessoas por meio da televisão! Por conta disso que hoje é normal o que outrora era contrário à doutrina do Senhor Jesus: “Entenebrecidos no entendimento separado da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração; os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregam à dissolução, para com avidez cometerem toda a impureza, mas vós não aprendestes assim com Cristo” (Ef 4.18-20).

          A televisão é um “deus” dos tempos modernos. É o novo Moloque que faz com que as pessoas sacrifiquem a Satanás (Lv 20.1-5). Esse deus, cujo está presente em todas as casas, induz os homens à idolatria — pecado horrendo e condenatório ao fogo eterno (Ap 21.8). Logo, está: (1) nas casas dos adeptos de todas as religiões; (2) nas casas dos seguidores das chamadas religiões monoteístas — Cristianismo, Islamismo e Judaísmo; (3) nas habitações dos ateus, que rejeitam a existência do Todo-Poderoso; (4) nas moradas dos livres-pensadores, os quais não creem em doutrinas religiosas; (5) em casas de pessoas que vivem sob ditaduras de diversos tipos; ainda assim, os governos as controlam através de emissoras estatais.

         Em suma: Não porás, pois, abominação em tua casa, para que não sejas anátema, assim como ela; de todo a detestarás, e de todo a abominarás, porque anátema é (Dt 7.26). Guardai-vos dos ídolos (1Jo 5.21).

 

           b) A televisão é onipresente, abrangendo todos os espaços públicos. Somente o Deus da Bíblia — Pai, Filho e Espírito Santo — é onipresente, quer dizer, está presente em todos os lugares ao mesmo tempo (Jr 23.23,24; Mt 18.20; Sl 139.7-10). Nem Satanás o é, já que a Bíblia salienta que ele “rodeia” e “passeia” pela terra (Jó 1.7). Rodear é “andar e percorrer em volta”, e passear é “dirigir-se vagarosamente, quer para um, quer para outro lado”. Por isso existem “legiões de demônios”, a fim de fazerem a vontade do Adversário por todos os lugares do mundo (Lc 5.8; Ap 12.4; Ef 6.12). Todavia, Satanás tem propagado as suas doutrinas e tem feito os homens beberem voluntariamente do seu veneno por intermédio da televisão, em todos os lugares e na mesma hora!

          A TV está nas casas de ricos e pobres; de grandes e pequenos; de sábios e ignorantes; de servos e livres; de religiosos e irreligiosos; de bons e maus; etc. A tevê presencia-se nas casas, nas mansões, nos apartamentos (de edifícios, de arranha-céus, de prédios, etc.), nos barracos, nos casebres, nas prisões, nos hotéis, nos palácios, nas tendas, nos motéis, nos bares, nos restaurantes, nos resorts, nas conduções, nos bancos, nas escolas, nas universidades, nos hospitais, nas igrejas, etc. Será que eles podem andar em suas moradas (ou nos locais onde a tevê encontra-se) com um coração sincero, pondo coisa má ante os olhos? (Sl 101.2,3).

         O fenômeno da onipresença (não propriamente como o Senhor Deus) é conseguido pelo Maligno, o qual está presente em todos os lugares do mundo por intermédio da televisão, fazendo com que a humanidade absorva a luxúria, o crime, o adultério, o homossexualismo, o lesbianismo, a idolatria, o satanismo, o espiritismo, a feitiçaria, o esoterismo, o ateísmo, o sexo ilícito, a violência, as enfermidades, o ódio, a mentira, a prostituição, a perda da virgindade, a pedofilia, a poligamia, o ecumenismo, a vaidade, o orgulho, as modas, o divórcio, etc. Todos, no mesmo momento, se assentam, sacrificam e prestam culto ao príncipe das trevas. Por consequência, adquirem “olhos maus” (Pv 28.22) e subsequentemente o corpo é imerso nas trevas e dominado pela força de Satanás (Mt 6.23), de maneira que passará, nas partes mais importantes da vida, a ser controlado pela influência diabólica. O Altíssimo, enquanto isso, fica em segundo plano, já que o tempo é consumido pelo Inimigo cujo está recebendo adoração através da TV.

            Portanto, aqueles que estão com a TV em casa, jazem, livremente, com a própria presença do Diabo, e, ainda por cima, prestando culto a ele.