©  by IFAP. All rights reserved.

O Mau Caminho da Televisão

Por Johny Mange

 

 

7  ─  OS PASTORES ANTIGOS — HOMENS DE DEUS — QUE LUTARAM PELA PALAVRA DO SENHOR, CONDENARAM A TELEVISÃO

 

         A Bíblia diz em Provérbios 22.28: Não removas os antigos limites que teus pais fizeram. Ou na Tradução Brasileira: Não removas o antigo marco que teus pais puseram. Estes “antigos limites” ou “antigos marcos” são os ensinamentos santos que afastaram os servos de Cristo do mundo e do pecado. São revelados como “tradições” porque impediram os crentes de andarem desordenados, arraigando-os na fé e na obediência da Palavra. Tais “limites” e “marcos” não sobrepujam as Sagradas Escrituras, e nem têm a pretensão de igualar-se a Ela, porquanto o Livro de Deus condena os que assim procedem (Mt 15.6-9). Será que tudo isso não é mandamento de homens? — pode alguém salientar. No entanto, os preceitos, a tradição e a doutrina dos homens, sempre embasarão o ser humano a andar conforme a sua vontade e comprazer às obras de sua carne, já que, deste modo, a satisfará e se sentirá bem (Gl 5.16,17,24), mas nunca eles apregoarão a renúncia que o Evangelho exige de Seus seguidores (Lc 9.23; 2Tm 2.3,4).

            O vocábulo igreja, do grego ekklesía, significa chamado para fora; qual seja, os verdadeiros crentes são tirados e apartados de todo o sistema corrupto, lisonjeiro e enganador do mundo (Jo 17.14-16). Os salvos não comungam com as coisas mundanas nem com os prazeres da carne, mas são “santos em toda a maneira de viver” (1Pd 1.15). A Bíblia é a palavra final para todas as normas e doutrinas (Hb 1.1; 2Tm 3.16); portanto, tudo está cabalmente estribado na Escritura: Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu (2Ts 3.6).

         Os pastores sábios e fiéis — enrobustecidos na Palavra do Senhor — transmitiram os limites, os marcos e as tradições à Igreja da atualidade. Eles andaram com Deus e tiveram fortes experiências com o Altíssimo. Semelhantemente, falaram a respeito da televisão, como ela é nociva, destruidora e incompatível com a santidade cristã. Anexas as declarações dos ungidos de Deus:

 

         Pr. Eduardo Modesto: “O Salmo 101.3 proíbe fortemente a televisão. Uma irmã me contou que teve uma experiência negativa com a televisão”.

 

           Pr. Enoque Mogardo: “Eu tive experiências horríveis com a televisão. Todos que possuem este aparelho em casa devem se desfazer dele”.

 

          Pr. José Pimentel de Carvalho: “Os malefícios da televisão está sendo mencionado não só em nosso jornal Mensageiro da Paz, mas até em jornais seculares. Um cientista disse que, por causa da influência da televisão, no futuro, a humanidade será desumanizada. O crente, porém, que tem televisão em casa, está roubando a espiritualidade de seus familiares”.

 

            Pr. Eugênio de Oliveira: “Televisão, realmente, é um pecado diante de Deus. Uma jovem da igreja em que eu dirijo, teve uma revelação sobre os males da televisão”.

 

            Pr. Francisco Assis Gomes: “O mal produzido pela televisão é tão grande que posso compará-lo com o efeito da má língua, que contamina todo o corpo, inflama o curso da natureza e está cheia de peçonha mortal”.

 

           Pr. João Alves Corrêa: “Quando assumi a Assembleia de Deus, em Santos (SP), todos os que podiam tinham sua televisão; porém, foi decidido que nenhum oficial da igreja poderia possuir uma televisão, e os crentes deveriam ser ensinados sobre o assunto. O resultado foi que proibi os aparelhos de televisão para os membros; agora, nenhum membro crente da igreja em Santos tem televisão”.

 

            Pr. Satyro Loureiro: “Que nenhum pastor possua televisor, e que qualquer obreiro que já o possua se desfaça dele. Aos membros das igrejas sejam recomendados a se desfazerem de seus televisores. Qualquer que resistir será afastado da comunhão da igreja até que se desfaça do aparelho”.

 

           Pr. Joaquim Marcelino da Silva: “São terríveis as experiências que os membros da igreja de Santo André (SP) têm vivido. O resultado foi o abandono do uso da televisão. Orei durante três anos pedindo que o Senhor me revelasse se os crentes deveriam fazer uso da televisão, e Deus revelou-me que não poderiam”.

 

              Pr. Roberto Montanheiro: “Diga não à televisão e sim à doutrina de Jesus”.

 

           Pr. Ataíde Rodrigues Lima: “Aqueles, que possuindo um aparelho de televisão, trazem o próprio cinema do demônio para dentro de casa”.

 

              Pr. Luiz Almeida: “O pastor, que usa o aparelho de televisão em sua sala, é indigno de ocupar o púlpito”.

 

            Pr. Paulo Leivas Macalão: “Desde minhas visitas a outros países, tenho notado que os melhores programas são os imorais [...] Esses aparelhos têm trazido uma contribuição negativa para a vida da igreja, tanto no aspecto espiritual como também no físico de cada crente. Eu não possuo nem desejo possuir televisão em minha casa. Todo cuidado devemos ter para que os crentes permaneçam afastados desse meio de comunicação”.

 

             Pr. Sebastião Rodrigues: “Deus não aceita o cristão que assiste à televisão. Televisão não é para cristão. Deus falou-me várias vezes que a televisão é coisa maldita. Será que o Senhor vai inspirar os programas evangélicos nela?”[25]

 

            Missionário Bill Burkett: “Em vez transformação moral e vida de santidade, o Movimento Carismático adotou o emocionalismo e o fenômeno das línguas como credencial. O divórcio e novo casamento, o consumo social de bebida, a sensualidade e o uso de cosméticos tornaram-se aceitos dentro do movimento, permitindo a acomodação de rebeldes liberais às igrejas evangélicas [...] E a igreja carismática [alusão aos pentecostais que abandonaram a separação do mundo e vivem à semelhança dos católicos] descambou para uma nova modalidade — tolerância ao divórcio e novo casamento, busca do bem-estar, materialismo, entretenimentos, televisão, esportes profissionais e praias públicas. A moral carismática ignora as recomendações das Escrituras contra essas coisas e acusa os que adotam a moralidade bíblica de avarentos espirituais e escravo do legalismo e das tradições”.[26]

 

          Missionário David Miranda: “[A televisão é] um dos maiores ídolos dos nossos dias. Ninguém pode negar isso. Toma o lugar de Deus o tempo todo na vida do homem e da mulher. Toma o lugar do culto, de servir a Deus, de pregar o Evangelho. Parece que é algo tão simples, principalmente para geração que quando nasceu já encontrou a televisão [...] a televisão impede as bênçãos de Deus na Igreja. Porque as igrejas que liberaram a televisão caíram espiritualmente mesmo sendo antes abençoadas [...] aqueles pastores combatiam a televisão, não permitiam aos crentes ter televisão em casa, cortavam da comunhão da igreja quem tivesse, suspendiam até que tirassem a televisão de casa. Essas igrejas eram muito abençoadas por Deus. Mas quando adotaram a televisão, embora muitos pastores não a usassem, mas liberam-na para os crentes e aí o diabo entrou”.[27]

 

             Rev. David Wilkerson: “Anos atrás, em meu livro A Visão, adverti que os lares das famílias se transformariam em centros de pornografia através das imoralidades da TV. Brevemente, antenas parabólicas de baixo custo trarão para dentro dos lares todos os programas via satélite do tipo imundo Playboy. Profetizo aqui e agora que está perto o tempo em que um crente convertido e realmente dedicado ao Senhor Jesus Cristo não poderá mais ter uma TV em sua casa. Nesse tempo somente desviados aceitarão a TV e aqueles que assistirem a seus programas imundos se tornarão como Ló em Sodoma: oprimidos, imorais e insensíveis a tudo o que espiritual e santo e santo. O anjo do Senhor brada: Fugi do espírito do norte — saí e respirai somente o ar puro da santidade e da separação”.[28]

 

            Rev. Leonard Ravenhill: “Em nossas cidades campeia a impureza. O crente que passa as noites em frente da televisão, a devanear, está com o cérebro morto e a alma em falência espiritual. E vivendo assim, indiferente à licenciosidade que impera nestes dias, a ponto de não chorar por causa da cegueira que domina o pecador, faria melhor se pedisse a Deus que terminasse logo sua vida terrena”.[29]

 

 

 

Conclusão

 

             Ainda nos anos sessentas, até mesmo os pastores das igrejas históricas combatiam a televisão como um aparelho discrepante e ruinoso à sadia espiritualidade dos cristãos professos (Sl 101.2,3; Mt 6.22,23; Dt 7.26; Is 33.15,16; Mc 9.47).

             Um pastor da Igreja Presbiteriana, sabedor do mal que o televisor, naqueles dias, proporcionava aos fiéis crentes em Jesus, escreveu sob inspiração do Santo Espírito, entre os meses de agosto e outubro de 1968, no Jornal Presbiteriano Conservador — uma nova versão do “Salmo 23”, chamada Canal 23.

              Se você gosta de televisão, tendo ou não televisor, aqui está a nova versão do Salmo 23 para os telespectadores, de sorte que seus versículos tornam-se assim:

 

                 1 — O televisor é meu pastor; meu crescimento espiritual faltará.

    

              2 — Ele me faz sentar nos pastos mundanos para levantar-me vazio das coisas de Deus. Ele toma o lugar que eu devia dar a Deus. Faz-me abandonar meus deveres de cristão, já que tenho de assistir aos meus programas prediletos que ele apresenta.   

 

             3 — Ele renova meus conhecimentos das coisas do mundo e não me deixa estudar a Palavra de Deus. Ele faz com que eu falte aos cultos ou os assista pela metade.

 

              4 — Mesmo eu estando para morrer, continuarei assistindo ao meu televisor enquanto ele funcionar, porque ele é o meu companheiro mais chegado. Suas músicas e sua imagem me confortam.

 

              5 — Ele me oferece muita distração trazendo o mundo para dentro de casa, a fim de orientar minha família. Ele enche minha cabeça de coisas, de modo que meu cálice transborda e eu estou sempre a falar dos seus programas. Falo tanto que a Palavra de Deus não tem mais lugar na minha vida, na minha família e na minha casa.

 

              6 — Assim sendo, certamente o mal e a miséria me seguirão todos os dias da minha vida, porque meu televisor me faz contrariar vontade de Deus: assim habitarei no lugar preparado para o Diabo e seus anjos para todo o sempre.

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

               1. Almanaque Abril 2014. São Paulo: Abril, p. 256.

 

               2. ARAÚJO, Isael de. Dicionário do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p. 724.

 

               3. Dicionário do Movimento Pentecostal, p. 726.

 

               4. Idem.

 

               5. Ibidem.

 

               6. OLIVEIRA, Roberto Anézio de. Assim Nasceu a Mundial: Igreja Pentecostal Deus É Amor. Santo André, 2010, pp. 6-13. (Apostila sobre a conversão e a ordenação de David Miranda, bem como acerca da fundação da IPDA, escrita pelo ministro que ungiu David Miranda a pastor, em 15 de abril de 1962).

 

               7. MANGE, Johny Mascedo; OLIVEIRA, Sara Guimarães de. Cronologia da Igreja Pentecostal Deus É Amor, tendo início com a conversão de seus fundadores. O Testemunho Comemorativo: Jubileu de Ouro — 50 anos. São Paulo, pp. 3,4, 2012.

 

               8. SACCONI, Luiz Antonio. Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa: comentado, crítico e enciclopédico. São Paulo: Nova Geração, 2010, p. 1945.

 

               9. Almanaque Abril 2014, p. 256.

 

               10. Grande Dicionário Sacconi, idem.

 

               11. Almanaque Abril 2014, idem.

 

               12. Grande Dicionário Sacconi, ibidem.

 

               13. ALVES, José Eustáquio Diniz. Domicílios Brasileiros entre 1960 e 2000. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Ciências Estatísticas, 2004, pp. 30,32. Disponível em: <biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv3124.pdf>. Acesso em: 30 mar. 2014.

 

               14. Almanaque Abril — Brasil, 2000. São Paulo: Abril, p. 211.

 

               15. Domicílios Brasileiros entre 1960 e 2000, p. 30.

 

               16. SANTOS, Pablo Victor Fontes; LUZ, Cristina Rego Monteiro. Convergência Midiática: A Nova Televisão Brasileira. Inovcom, Vol. 5, n.º 2, 2013, p. 21. Disponível em: <portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/inovcom/article/viewFile/1725/1615>. Acesso em: 30 mar. 2014.

 

1              17. Número de casas com TV supera o das que têm geladeira. Do G1, em São Paulo. Disponível em: <http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/09/numero-de-casas-com-tv-supera-o-das-que-tem-geladeira.html>. Acesso em 30 mar. 2014.

 

               18. BÍBLIA SAGRADA: Tradução Brasileira. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2010, p.1168.

 

               19. VARELLA, Drauzio. A violência na TV e o comportamento agressivo. Disponível em: <http://drauziovarella.com.br/drauzio/violencia-na-tv-e-comportamento-agressivo/>. Acesso em: 31 mar. 2014.

 

               20. A televisão e a violência: O impacto sobre a criança e o adolescente. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/psiquiatria/vio_impa.htm#tab3>. Acesso em: 30 set. 2009.

 

               21. RIBEIRO, Ana Caroline; BATISTA, Aline de Jesus. A influência da mídia na criança/pré-adolescente e a educomunicação como mediadora desse contato. Palmas: Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia — ALCAR, pp. 2,3. Disponível em: http://www.ufrgs.br/alcar/noticias-dos-nucleos/artigos/>. Acesso em: 31 mar. 2014, adaptado.

 

               22. Estudo do BID relaciona divórcios a divórcio no Brasil. Disponível em: <http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/reporter/2009/01/30/estudo-do-bid-relaciona-novelas-a-divorcios-no-brasil.htm>. Acesso em: 31 mar. 2014.

Estudos do BID mostram que as novelas ajudaram a moldar as idéias das mulheres sobre casamento e família. Disponível em:

<http://www.iadb.org/pt/noticias/artigos/2009-01-29/novelas-brasileiras-tem-impacto-sobre-os-comportamentos-sociais,5104.html>. Acesso em: 31 mar. 2014.

     

               23. Quantidade e qualidade de produtos alimentícios anunciados na televisão brasileira. Ribeirão Preto (SP): Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, 2004. Disponível em: <http://www.canalciencia.ibict.br/pesquisa/0199-Anuncios-televisao-maus-habitos-alimentares1.html>. Acesso em: 31 mar. 2014.

 

               24. Marionetes da Televisão. Disponível em: <http://www.secom.unb.br/unbagencia/ag0504-28.htm>. Acesso em: 31 mar. 2014.

 

                25. Dicionário do Movimento Pentecostal, pp. 844-847, adaptado.

 

                26. BURKETT, Bill. Pentecostais ou carismáticos? — Um chamado ao verdadeiro pentecostes. 2.ª Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999, pp. 27,41 (ênfase acrescentada).

 

                27. MIRANDA, David Martins de. Entrevista com o líder fundador da Igreja Pentecostal Deus É Amor: Missionário David Miranda fala sobre as revelações recebidas de Deus. Ide. São Paulo, n.º 3, pp. 17,18, dez. 2000.

 

               28. WILKERSON, David. Toca a Trombeta em Sião. 7.º Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1989, p. 154.

 

                29. RAVENHILL, Leonard. Por que Tarda o Pleno Avivamento? Belo Horizonte: Betânia, 1989, p. 108.