©  by IFAP. All rights reserved.

O Caminho preparado para o Anticristo

 

Por Johny Mange

Introdução

          O mundo se prepara para receber o Anticristo. O espírito do Anticristo jaz no mundo (1Jo 4.3) e prepara o caminho para os seres humanos recebê-lo com cordialidade. Quando ele ascender ao poder, não haverá repulsa de o povo agasalhar o seu governo ditatorial.

 

1 – O Anticristo

          Será uma pessoa que receberá o poder mundial no final dos tempos. Sua vinda foi profetizada por Jesus (Mt 24.15; Jo 5.43). Ele vai ser o líder da última forma de domínio internacional (Ap 13.1; 17.5). Surgirá no mundo gentílico (Dn 9.26,27). Por conseguinte, quererá tomar o lugar de Deus. O prefixo "anti" denota "oposição", e significa "contra" ou "no lugar de"; portanto, deseja tomar o posto, a glória do Filho de Deus para si, difamando-O e escarnecendo-O.

 

2 – Seu Governo

         Sua influência é mundial (Ap 13.8). Deus revelou na Torre de Babel que o propósito dele é a independência das nações do mundo (cf. Gn 11). Nenhuma nação devia ter o controle absoluto sobre a terra. No entanto, durante os últimos dias, o Anticristo exercerá uma ditadura suprema, através de três bases:

* Primeira, terá o controle político e forçará tanto os pequenos quanto os grandes a receberem a marca da Besta (Ap 13.16). A palavra "grande", no versículo citado, significa, literalmente, "aqueles que são poderosos politicamente";

* Segunda, espiritual, uma vez que obrigará todos a adorá-lo (Ap 13.15); e

* Finalmente, a terceira, que é econômica: ninguém poderá comprar ou vender sem a marca da Besta (Ap 13.16,17).

         Ele eliminará três reis em sua ascensão ao poder (Dn 7.8,24). Conseguintemente, estes, que serão destruídos pelo Anticristo, são partes dos 10 monarcas que governarão o mundo nos últimos dias. São cognominados "chifres" e "dedos" (Dn 2.41-44; 7.24). Muitos estudiosos ensinam que esses 10 reis representam o Mercado Comum Europeu; entretanto, preferimos uma interpretação muito mais ampla para a identidade dos 10 dedos da estátua, descrita em Daniel 2.

 

3 – A Nova Ordem Mundial

         Uma interpretação confiável é que as nações do mundo, nos últimos dias, serão reorganizadas em 10 supernações. Assim que tal reorganização estiver completa, o Anticristo aparecerá: o 11.º chifre de Daniel 7.8: Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas. Os planejadores da Nova Ordem Mundial já conceberam a arrumação do mundo em 10 nações.

         O Clube de Roma, uma das organizações promoventes da Nova Ordem Mundial, já elaborou um novo mapa-múndi em que o planeta está dividido em 10 setores ou regiões, que, por sua vez, ficarão interligados a uma única central de governo. A hora realmente está bem avançada... (1Jo 2.18).

        

4 – O Pecado de blasfêmia, Presente no Governo do Anticristo

         O Anticristo é o líder do sistema ímpio de Satanás (2Ts 2.3). Ele é o exemplo supremo de rebelião contra Deus. A blasfêmia pode ser expressa de duas formas básicas: 1.ª – dizer coisas que difamam o caráter de Deus, e 2.ª – afirmar ser Deus. Com efeito, o Anticristo será culpado desses dois tipos de ultraje. Daniel (7.20) retrata-o como um chifre que tinha boca e falava grandes coisas. Daniel (11.36) revela que esse imperador fará a sua vontade, levantar-se-á e engrandecer-se-á sobre todos, falará coisas horripilantes contra o Deus dos deuses e será próspero. Logo, prosperará até que se cumpra a indignação, pois aquilo que está determinado será feito!

 

5 – A Marca da Besta: Adesão ao Sistema Satânico de Seu Governo

         Em Apocalipse 13, ele convence os povos do mundo que, portanto, é digno de adoração. A expressão dessa fidelidade será que toda pessoa deverá permitir que uma marca seja permanentemente implantada na mão ou na testa: E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis. Com o recebimento dessa marca, a pessoa reconhecerá Satanás como seu deus. A palavra "marca" é "charagma", no grego, e equivale à palavra "tatuagem". Isto é, tal marca será a demonstração de que houve submissão ao Diabo, operando por meio do Anticristo. É por isso que quem a receber estará condenado eternamente ao Lago de Fogo (Ap 14.9-11). Na Ásia Menor, os devotos das religiões pagãs faziam tatuagens para demonstrarem que pertenciam aos seus deuses e eram-lhes sujeitos. Sendo posta em local visível, à semelhança de uma tatuagem, ou seja, poderá ser percebida, só assim os seres humanos poderão "comprar e vender" – realizar quaisquer negócios. Aquele que não se subordinar a recebê-la, sofrerá o ápice de grande perseguição, dor, agonia e dificuldade (Ap 12.17). Muitas pessoas se recusarão a receber a marca da Besta. Estas serão martirizadas e sofrerão torturas bárbaras e desumanas (Ap 20.4; Mc 13.19,20), a ponto de suas almas, no Céu (Ap 7.9-14), pedirem justiça e vingança ao Santo Dominador pelos horrores do sangue derramado (Ap 6.9-11).

 

6 – Seu Aparecimento

         O Anticristo aparecerá na hora final da história de Israel (Dn 8.23). Sua ascensão virá por meio de um programa de paz (Dn 8.25; 9.27). O mundo já está condicionado. Após tantas guerras e rumores de guerras, a humanidade deseja paz a qualquer custo; exatamente como o Apóstolo Paulo predisse em 1Tessalonicenses 5.3: Quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão. As dores de parto que precederão o Anticristo são os rumores de guerra, terremotos em todo o mundo, fomes e pestes, os quais foram vaticinados no Sermão Profético de Jesus: Mateus 24.

         Esses eventos ocorrerão nos dias, semanas e meses que antecederem o aparecimento do Anticristo. Este surgirá em meio a esses levantes e desastres e receberá crédito, pois resolverá tais problemas socioeconômicos. Por isso, formará a base para maioria da população do mundo aceitá-lo. Os falsos sinais e prodígios que o Falso Profeta realizará na presença do Anticristo, darão apoio ao governo deste. Consequentemente, aquele convencerá a população e o mundo a adorar a imagem do Anticristo (Ap 13.15), sob ameaça de morte física.

         Porém, enquanto a Igreja estiver na Terra, o Anticristo não tem o poder de apresentar-se. O Divino Espírito Santo é o Instruidor, é o Ajudador, é o Consolador, enfim, é o Seio da Igreja! Sua glória, poder e Divindade impedem-no de aparecer: Porque já o mistério da injustiça opera. Somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado. E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda (2Ts 2.7,8 - grifo acrescido).

 

7 – As Fases do Segundo Advento de Cristo

         A Bíblia revela um cronograma divino para o final dos tempos. A Dispensação da Igreja termina com a Segunda Vinda de Jesus. Mas o que fazer com aqueles que se converterão na Grande Tribulação? É claro, portanto, que haverá santos de Deus durante o período crítico desse sofrimento; porém, não serão "membros do Corpo de Cristo" (a Igreja da época da Graça), pois este é constituído por aquele grupo que pertenceu à Dispensação da Graça. Serão crentes individuais, como nos tempos do Antigo Testamento, e, mediante dois dispositivos (sangue e fé), serão capazes de testemunhar acerca de Cristo e de Sua redenção (Dn 11.33-35; Ap 11; 17.6; 14.2). Esta seção revela que, mesmo fora da Dispensação da Graça, pode haver salvação, mas sempre baseada na morte expiatória de Cristo (Ap 7.9-14; Jl 2.30-32).

         Terminada a Dispensação da Igreja (que é a mesma da Graça) com a Segunda Vinda de Jesus, é sabido que, nesta, Cristo não virá de uma só vez. Todavia, ela é dividida em duas fases:

         Primeira fase – O Arrebatamento dos crentes: Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor (1Ts 4.16,17; cf. 1Co 15.51,52). Este livrará os servos do Altíssimo da ditadura do Anticristo, a qual se dará na Grande Tribulação: E esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura (1Ts 1.10). A Grande Tribulação é chamada de "ira" e "ira do Cordeiro", etc. (Ap 6.16; Lc 21.23). O aparecimento de Jesus nas nuvens, cujo raptará os salvos, é obscuro aos olhos do mundo.

         Segunda fase – No término da Grande Tribulação, a qual será de sete anos: três anos e meio da apresentação do governo do Anticristo e dias de ilusória paz, e três anos e meio de plena atormentação (cf. Ap 12.14; Dn 7.25; 9.27; 1Ts 5.3), visto que ela durará "uma semana" (cf. Dn 9.27), literalmente "semana de anos". Conseguintemente, ao cabo de sete anos, Jesus regressará, desta vez, com a Igreja glorificada (Cl 3.4; Ap 19.11-14), visível a todos (Ap 1.7), a fito de batalhar contra o Anticristo e o Falso Profeta, em um monte chamado Armagedom, e lançá-los no Lago de Fogo (Ap 16.16; 19.11-20).

 

8 – Escape-se!

         Lembre-se da revelação de Deus em Daniel 11.35: E alguns dos entendidos cairão, para serem provados, purificados, e embranquecidos, até ao fim do tempo, porque será ainda para o tempo determinado. Você está espiritualmente preparado para esse teste de purificação? Esperará as dores atrozes e a terrível perseguição satânica que resultará a Grande Tribulação? (Ap 12.11,17; Lc 21.23). É bom que não!... Escape-se do regime do Anticristo e da Grande Tribulação! Queira subir na Primeira Fase do Segundo Advento – o Arrebatamento – e escapar das agruras e barbáries da "ira do Cordeiro" – o tempo da Tribulação: O justo é levado antes do mal (Is 57.1). O caminho já se encontra preparado para o Anticristo; o dever dos remidos é ter "vigilância e sobriedade", a caso de ouvirem o toque da trombeta (Mc 14.38; 2Tm 4.5; 1Co 15.52).

 

9 – Um conselho em quatro passos

         Eis quatro passos para o livramento de todo o sofrimento vindouro na Grande Tribulação, que há de ser dias de indignação, tribulação, angústia, alvoroço, assolação, trevas, escuridão, nuvens e densas trevas (Sf 1.15). Tudo pode ser evitado. Quem obedece ao mandado do Bom Salvador será livre da cruenta ditadura do Antagonista de Cristo: o Anticristo.

         Primeiro, obter o perdão dos pecados, aceitando Jesus Cristo e crendo no poder remidor do sangue vertido na cruz.

         Segundo, separar-se deste "sistema iníquo", chamado "mundo". As palavras de Jesus, em Apocalipse 18.4, aplicam-se aqui: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas (Ap 18.4). Muitos cristãos estão hoje tolerando o pecado em suas vidas, pois eliminá-lo pode significar sair do complexo de iniquidade que está criando a oportunidade de transgredir a Lei Divina. Talvez, você esteja vivendo de maneira antiética, conformando-se com este mundo, aderindo aos modismos e liberações dos ministros que se venderam a Satanás (1Tm 6.3-5). Por sua salvação, fuja desses falsos pregadores, dessas denominações que se apostataram da fé para desfrutar o dinheiro, as modas, a cultura do fisiculturismo, dos esportes, da estética, dos cosméticos, da nudez, enfim, o gozo do pecado (Hb 11.23-26; 2Co 6.17). Agora é hora de abandonar toda a impiedade, purificando-se no sangue de Jesus Cristo a fim de começar a viver em obediência aos mandamentos do Senhor. Muitos cristãos participam de igrejas que se desviaram da verdadeira doutrina da Palavra de Deus, ou se renderam a determinadas igrejas que, antes pregoeiras da santidade, hoje, estão "alargando a porta", liberando o mundanismo, o bel-prazer e a vaidade aos poucos, sob o pretexto do "não faz mal" (cf. Ml 1.8), adaptando-se à pós-modernidade (Rm 12.2). Outros tentam estar "positivos" sobre todas as "boas" coisas que as igrejas fazem deles. Recorde-se das palavras de Paulo em 1Co 5.6,7: Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Tudo isso é a infiltração da doutrina do Anticristo. Tais mudanças e inovações são atalhos indutivos à ascensão do Antagonista de Cristo, onde inúmeros crentes estão perdidamente a vaguear; no enanto, a porta do Céu continua estreita (Mt 7.13), e o Reino dos Céus é tomado pela força e pela violência (Mt 11.12). O salvo não pode render-se, mas tem de lutar por Cristo e ser fiel até o fim (Ap 2.10), já que sem a santidade ninguém verá a Deus (Hb 12.14).

         Terceiro, conhecer as Escrituras (Jo 5.39). Você precisa iniciar um programa de leitura da Bíblia (Sl 1.2). Desta forma, memorizará os versículos e os aplicará em seu coração (Sl 119.11), e

         Quarto, a oração diária, que é uma grande necessidade (1Ts 5.17). Crie uma lista de pedidos de oração. Ore diariamente a apresentar suas necessidades. Ore por seu próximo. Leve-os diante do Rei da Glória (Jr 33.3; Tg 5.16). A oração humilde, aos pés do Senhor, pode alcançar grandes bênçãos (Sl 18.6).

 

Conclusão

           Quem tem ouvidos para ouvir, ouça (Mt 11.15). Assim, estará preparado para ser tragado, isto é, desaparecer como "relâmpago que sai do Oriente e se mostra no Ocidente" (Mt 24.27), "num abrir e fechar de olhos" (1Co 15.52), no Arrebatamento da Igreja, pela ordem de Jesus Cristo. Deste modo, livrar-se-á do reino do Anticristo: Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra (Ap 3.10).