©  by IFAP. All rights reserved.

5 - Na hipnose, a mente fica “livre” para o hipnotizador

 

         A revista Superintessante, abordando o tema “Hipnose”, diz que “a hipnose tem efeitos tão profundos. A pessoa não fica dormindo. Fica acordada, consciente e sabendo que está sendo hipnotizada. A diferença é que, como o neocórtex [uma região cerebral que só existe nos mamíferos] é privado das informações [...] a consciência fica sem reservas nem referências - e, por isso, totalmente vulnerável às sugestões do hipnotizador. Esse poder pode servir para obrigar uma pessoa a imitar uma galinha, mas também tem uso terapêutico.” ⁶

         Perceba que a hipnose é bipolar, ou seja, tem duas naturezas opostas ou contraditórias. Ela, segundo os médicos, pode ajudar; porém, também tem o poder de fazer a vítima ficar à mercê do hipnotista, que consegue até fazê-la imitar um animal. Alguém garante o que será feito consigo, estando com uma região do cérebro inconsciente? Será a vontade do Criador reduzir o homem — feito um pouco menor que os anjos, coroado de glória e honra (Hb 2.6,7) — permitindo-o ficar aos caprichos do hipnotista, o qual, às escondidas, possui a habilidade e sutileza de fazê-lo imitar seres irracionais?       

O ensino das Sagradas Escrituras difere da hipnose:

 

        a) Deus jamais apaga a consciência de alguém em Seu agir. Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional (Rm 12.2). Racional, no original, é “pertencer à razão”. Jamais as atuações do Senhor tirarão a consciência e a razão do ser humano. O culto a Deus exige a razão. A hipnose a tira inteiramente, deixando o indivíduo à mercê.

        Mas os hipnoterapeutas podem replicar, alegando que a hipnose não desliga a pessoa totalmente, pois ela ainda fica consciente; todavia, a opinião científica é que “a hipnose é um estado de grande atenção, em que o cérebro foca em uma coisa e se desliga do resto.” 7 E mais, pode-se até programar o cérebro de alguém após a suposta terapia hipnótica: “A sugestão pós-hipnótica realmente existe - é possível programar o cérebro de pessoas altamente suscetíveis.” 8 Isso se harmoniza com a Bíblia Sagrada? Indubitavelmente, não; mil vezes não! Satanás é quem tira a consciência das pessoas e, através disto, tem campo livre na efetuação de seus intentos maléficos: Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus (2Co 4.4); A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou (Cl 1.21); Assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé (2Tm 3.8).

         Os adeptos da hipnose querem “tapar o Sol com a peneira”, mas os próprios dados científicos os põem em palpos de aranha.

 

        b) O leite racional. Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo (1Pd 2.1). Outra vez é mostrado que, as atuações aprovadas por Deus, sempre estão em consonância com a razão. “Leite racional” é um tipo da Palavra de Deus. Ela opera o novo nascimento no ser humano quando o purifica e o regenera (Tg 1.18; 1Pd 1.23). Logo, qualquer recém-nascido precisa do leite materno; neste caso, tal leite é a Palavra do Senhor que firmará o novo crente na verdade (Mt 7.24,25). “Leite racional” são as Escrituras que encaminham o homem ao bom-senso, à razão, à lógica, etc. O hipnotismo, não, cega de um lado para operar no outro. Francamente, não é? Ainda mais que tem parte, desde os primórdios, com práticas ocultistas, infere-se que sua raiz nunca esteve ligada às práticas aprovadas por Deus.

 

 

6 - "Memórias" do passado e previsões do futuro

 

      Um uso popular da hipnose tem sido o da procura da memória para "voltar até a infância". Alguns pacientes inclusive descrevem suas experiências do que eles crêem ser sua vida no ventre da mãe e seu nascimento subseqüente (isto é impossível, entretanto, por causa do fato científico neurológico de que a mielina do cérebro pós-natal é incapaz de guardar tais memórias). Outros ainda descrevem algum tipo de estado desincorporado e, então, o que eles identificam como sendo suas vidas passadas e antigas identidades. Quanto disso é criado pelo aumento da sugestibilidade, imaginação irrestrita, transe alucinógeno ou intervenção demoníaca não pode ser determinado! Além disso, a Bíblia claramente contradiz a noção de vidas passadas e reencarnação. ⁹

 

        a) A existência do homem, nesta terra, é uma única vez: E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo (Hb 9.27).

 

         b) O homem, depois da morte, não volta mais a viver nesta terra: Porque se lembrou de que eram carne, um vento que passa e não volta (Sl 78.39).

 

          c) Não há vidas passadas, uma vez que, após a sepultura, nunca mais o ser humano volta ao seu antigo lugar — a terra dos viventes: Tal como a nuvem se desfaz e passa, aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir. Nunca mais tornará à sua casa, nem o seu lugar jamais o conhecerá (Jó 7.10,11).

      O hipnotismo tem fins diabólicos, já que ajudam a propagar mentiras e expor a falsa doutrina da reencarnação.

 

 

7 - A inconfiabilidade do hipnotismo

 

        A hipnose nem mesmo é confiável para recordar coisas recentes. O que é "lembrado" sob o efeito da hipnose tem sido muitas vezes criado, reconstruído ou melhorado durante o estado de alta sugestibilidade. Pesquisas indicam que depois de hipnose, a pessoa é incapaz de distinguir entre uma recordação verdadeira e o que imaginou ou criou sob o efeito da sugestão. Muito provavelmente, a hipnose trará à luz falsas impressões como se fossem eventos verdadeiros do passado (indivíduos podem e muitas vezes mentem durante a hipnose!). É mais provável então que a hipnose mais contamine a memória do que ajude a pessoa a lembrar o que realmente aconteceu.

        Além da terapia hipnótica das vidas passadas, alguns praticantes estão fazendo agora terapia hipnótica da vida futura. A pessoa hipnotizada supostamente vê os futuros eventos, resolve assassinatos, revela os destinos futuros de personalidades bem conhecidas, etc. Alguém envolvido nessa viagem hipnótica deve perguntar a si mesmo: “Onde está a linha de demarcação entre o demoníaco e o divino, entre a esfera de Satanás e a da ciência? Em que ponto a porta das trevas se abre e o Diabo conquista uma fortaleza na alma?” ¹º

     Em nítido contraste a isso, somente Jesus, através de Seu sangue expiador, pode dar um futuro impressionante a qualquer ser humano: a vida eterna (cf. Rm 6.23; Jo 5.24; 1Pd 1.18-21).

      A hipnose quer misturar a verdade com a mentira, quer harmonizar um ensino do ocultismo coma realidade da fé cristã, quer coadunar o método pagão de medicina com a medicina moderna. Isso é impossível! Que a vossa palavra seja sim, sim, e não, não; para que não caiais em condenação (Tg 5.12); E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre: e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos símplices (Rm 16.17,18).

 

 

8 - O risco de submeter-se à hipnose

 

       Os pesquisadores descobriram que, sob hipnose, 70% das pessoas ficam receptivas a falsas memórias. E as terapias que prometem acessar memórias reprimidas são muito nocivas: fazem com que os pacientes corram maior risco de perder o emprego e a vida social e tenham até 500% mais possibilidade de ir parar num hospital psiquiátrico. Por isso, hoje esse tratamento é desaconselhado pela Associação Médica Americana. ¹¹

       Eis aí revelado o resultado da hipnoterapia. A Bíblia é a melhor resposta ao hipnotismo.

 

        a) O Espírito Santo age na memória por meio da Palavra — Disse Jesus: Mas aquEle Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu nome, Esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito (Jo 14.26). Ao cristão fiel e dedicado, Deus confere “a mente de cristo” (1Co 2.16).

 

         b) Quem recebe o Espírito Santo recebe bens do Altíssimo Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus (1Co 2.12).

 

        c) São apagados os erros e o passado ruim, daquele que se converte a CristoPorque serei misericordioso para com suas iniqüidades, e de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais (Hb 8.12).

 

 

9 - Hipnoses versus Cristianismo

 

         No hipnotismo, a fé, que deve estar firme em Deus e no Evangelho, é transferida para o hipnotizador e sua artimanha (Mc 11.22; Rm 10.17). O Senhor fala e se revela aos Seus escolhidos através da mente consciente e racional (Rm 12.2; 1Co 2.16). Ele criou os indivíduos como criaturas que fazem escolhas conscientes e volitivas (Dt 30.19; Lc 10.41,42). O Altíssimo enviou o Seu Santo Espírito para habitar nos cristãos a caso de capacitá-los a confiar nEle e obedecer-Lhe através do amor e da escolha consciente (Jo 16.13; 1Pd 1.22).

        A hipnose, por outro lado, opera na base da imaginação, ilusão, alucinação e engano (1Tm 4.1; 2Co 11.3). Jesus alertou Seus seguidores contra o engano (Mt 24.4). Além do mais, a origem do hipnotismo está associado terminantemente ao ocultismo e aos seus ramos: o espiritismo, a bruxaria, a magia, de povos primitivos, mas incrédulos e alienados de Deus.

         Fábio Puentes, um dos mais proeminentes da América, na área de hipnose, disse: “O que você diz para hipnotizar a pessoa não é tão importante. O que importa é o seu jeito, o seu tom de voz.” ¹² Por isso, depois que uma pessoa abre a sua mente para o engano através da hipnose, ela pode se tornar muito mais vulnerável a outras formas de fraude espiritual: Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com as concupiscências da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro, prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo (2Pd 2.18,19).

 

 

10 - A obra do Diabo por meio do hipnotismo

 

       A hipnose gera imitações satânicas no exercício da verdadeira religião, sendo incompatível com a fé cristã. Se a hipnose gera qualquer forma de fé e adoração que não é dirigida diretamente para o Deus da Bíblia (Mt 4.10; Is 48.11), e não estando de acordo com os princípios bíblicos, qualquer pessoa que se submete ao hipnotismo pode estar caindo numa terrível armadilha de Satanás, prostituindo-se espiritualmente (cf. Lv 19.26,31; 20.6,27; Dt 18.9-14; 2 Rs 21.6; 2 Cr 33.6; Is 47.9-13; Jr 27.9; Tg 4.4,5).

      “Viela” é um beco, uma rua estreita que direciona à rua maior. O mesmerismo (também chamado de hipnotismo) é uma viela que leva o ser humano ao ocultismo, derribando-o nas profundezas de Satanás. O caminho do ocultismo é o “caminho largo” — condutivo à eterna perdição: Porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela (Mt 7.13). Por conta disso, os que se entregaram aos estratagemas da hipnose estão numa viela, sendo conduzidos ao ocultismo, que, por fim, vai desencadeá-los no fogo do inferno. O conselho da Palavra aos que se dão à hipnoterapia é este: Fugi para salvação vossa (Jr 6.1).

 

 

 

Voltar à Página Anterior

 

Bibliografia

 

¹ MATHER, George A.; NICHOLS, Larry A.; SCHMIDT, Alvin J. Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo. 2.ª imp. São Paulo: Vida, 2000, pp. 188,189.

 

² Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo, p. 288.

 

³ idem, p. 468.

 

4 GARATTONI, Bruno; MARTON, Fabio. Hipnose. Disponível em: <http://super.abril.com.br/ciencia/hipnose-619447.shtml>. Acesso em: 5 maio 2014.

 

⁵ BODGAN, Martin; BODGAN, Deidre. Hipnose: Porta para o Ocultismo. Disponível em: <https://www.chamada.com.br/mensagens/hipnose.html>. Acesso em: 6 maio 2014.

 

⁶ Hipnose, idem.

 

7 idem.

 

8 id.

 

⁹ Hipnose: Porta para o Ocultismo, idem.

 

¹º id.

 

¹¹ ibidem.

 

¹² Hipnose, idem.