©  by IFAP. All rights reserved.

A Grande Tribulação

 

Por Johny Mange

 

 

O que é a Grande Tribulação?

           É o tempo da manifestação da ira de Deus sobre a Terra e sobre os pecadores impenitentes, que rejeitaram o sacrifício salvífico de Seu Filho – Jesus Cristo. Será um tempo de angústia, sofrimento, perseguições, pragas e mortandades, que culminam com os últimos dias da história humana. Muitos livros da Bíblia a enfatizam, dentre os quais: Isaías, Jeremias, Daniel, Zacarias, Malaquias. No Apocalipse, ela principia no capítulo 6 e termina no capítulo 19. A respeito dela, Cristo disse: Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver (Mt 24.21). Veja Daniel 12.1.

 

Os nomes da Grande Tribulação

           De tão horrível que será, um só nome é incapaz de descrever o impacto, o caos e a destruição que causará. Portanto, é chamada de “Dia da ruína” (Dt 32.35), “Dilúvio de açoite” (Is 28.15), “Dia da vingança de Deus” (Is 34.8; 61.2), “Tempo da angústia de Jacó” (Jr 30.7); “Septuagésima Semana de Daniel” (Dn 9.27), “Dias de indignação, tribulação, angústia, alvoroço, assolação, trevas, escuridão, nuvens e densas trevas, trombeta e alarido” (Sf 1.15,16), “Grande aflição” (Mt 24.21), “Ira” (1Ts 1.10), “Ira do Cordeiro” (Ap 6.16,17), “A Hora do Juízo” (Ap 14.7), “Ira de Deus” (Ap 14.10,19), “Hora da tentação” (Ap 3.10), “A Tribulação” (Mt 24.29) e a “Grande Tribulação” (Ap 7.14).

 

Quanto tempo durará?

          Segundo a palavra profética terá a duração de 7 anos, consoante a profecia de Daniel 9.27: E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador. Sendo, pois, a Septuagésima Semana, não é literal, e, sim, profética; ou seja, cada dia equivale a um ano! Biblicamente, existe “semana de anos”, quando se trata de profecia (cf. Lv 25.8). Isto é real, visto que Jesus asseverou: E, se o Senhor não abreviasse aqueles dias, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias (Mc 13.20).

 

 

Como ocorrerá?

           Serão três anos e meio de paz, por causa da aliança que o Anticristo fará com a humanidade, e principalmente com os judeus. Conseguintemente, as pessoas terão uma vida fácil: casas, empregos, planos de saúde, cursos universitários gratuitos, etc.; não obstante, tal época, alude ao cavalo branco (Ap 6.2; Dn 9.27), cujo representa esses anos fartos de falsa paz do Anticristo. Todavia, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão (1Ts 5.3). Destarte, inicia-se o segundo período (últimos três anos e meio) em que os juízos da Jeová ocorrerão sobre a humanidade sequencialmente, pois “o Todo-Poderoso regerá com vara de ferro e pisará o lagar do vinho do furor da Sua ira” (Ap 19.15).

 

Os juízos da Grande Tribulação

           Ocorrerão em três grupos: 7 selos – julgamentos desvendados (Ap 6.1-17; 8.1), 7 trombetas – juízos bradados (Ap 8.2-13; cap. 9 e cap. 11.15-19) e 7 taças da ira de Deus – sentenças consumadas (Ap capítulos 15 e 16). Com as aberturas dos 7 selos, ocorrem: 1.º selo – Alude à falsa paz do Anticristo vigorada nos três primeiros anos e meio; 2.º selo: cavalo vermelho – guerra e derramamento de sangue; 3.º selo: cavalo preto – fome e miserabilidade; 4.º selo: cavalo amarelo – morte e condenação infernal; 5.º selo: Refere-se àqueles que negarem o sinal da Besta na Grande Tribulação e serão salvos por Cristo, porém terão de derramar o sangue para confirmar o amor pela causa de Deus (cf. Ap 7.9-14); 6.º selo: Terremoto, partes de estrelas caem, escurecimento do Sol e da Lua e remoções de ilhas e montes; e 7.º selo: Prelúdio para as 7 trombetas. Subsequentemente, tocam-se as trombetas: 1.ª trombeta – Terça parte da vegetação é destruída; 2.ª trombeta: Terça parte da vida oceânica e das naus é destruída; 3.ª trombeta: Terça parte das fontes e das águas doce é envenenada; 4.ª trombeta: Terça parte dos astros luminares se escurece; 5.ª trombeta: O abismo é aberto e os piores demônios são soltos em forma de gafanhotos, tempo em que até a morte desaparece por 5 meses; 6.ª trombeta: Quatro demônios, presos junto ao rio Eufrates, são soltos com uma cavalaria infernal de 200 milhões de demônios, cada um lidera 50 milhões; e 7.ª trombeta: Prólogo para as 7 taças mediante o domínio de Cristo declarado. Finalmente, são derramadas as 7 taças da zanga do Todo-Poderoso: 1.ª taça: chagas malignas; 2.ª taça: Total envenenamento da água salgada; 3.ª taça: total envenenamento da água doce; 4.ª taça: calor abrasador do Sol; 5ª taça: Trevas e dores horrendas sobre os homens e o trono da Besta, logo, mordiam as línguas de tantas dores; 6ª taça: O rio Eufrates seca-se e surgem 3 espíritos imundos como rãs, que preparam a população mundial para a maior guerra de todos os tempos: o Armagedom; e 7ª taça: Grande terremoto jamais havido na Terra, vozes, trovões, relâmpagos, remoção de todas as ilhas e montes e chuvas de pedras de até 34 quilos. 

 

A Igreja passa pela Grande Tribulação?

           Não! O Arrebatamento a livra da ira futura, pois não rejeitou o derramamento do sangue inocente de Jesus e, ao aceitar tal sacrifício, propagou-o a toda criatura (Mc 16.15,16; Mt 28.19,20). Neste ínterim, os crentes estarão recebendo os galardões eternos e se preparando para participarem das Bodas do Cordeiro (Ap 22.12; 19.7-9). Como Deus salvou Noé ANTES do dilúvio, Ele salvará a Igreja ANTES do Dilúvio de açoite, que é a Grande Tribulação, visto que a vinda de Jesus é comparada aos dias de Noé (Mt 24.36-44). Jesus livrará a Sua noiva da ira (1Ts 1.10). A aceitação do Cristo de Deus salvou a Igreja da vingança de Deus (Rm 5.9). Os cristãos são destinados não à ira futura, porém à salvação (1Ts 5.9). Quer mais provas? Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra (Ap 3.10). Depois dos 7 anos da ditadura do Anticristo, a Igreja vem com Cristo nas nuvens, desta vez, glorificada (Cl 3.4; Ap 19.11-16), a fito de batalhar no Armagedom (Ap 16.16), a vencer as duas Bestas (Ap 19.19,20), aprisionar Satã e instaurar o Milênio (Ap 20.1-6; Zc 14.4-9).

 

Quem governará no tempo da Tribulação?

            A trindade satânica: o dragão, Satanás – é o antipai; a Besta do mar – o Anticristo, e a Besta da terra, o Falso Profeta – o antiespírito: E da boca do dragão, e da boca da Besta, e da boca do Falso Profeta vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs (Ap 16.13).

 

O Espírito Santo deixará de atuar nesse tempo?

           A presença especial do Divino Espírito Santo, como aqu’Ele que habita nos santos, terminará repentinamente no Arrebatamento, assim como repentinamente começou no Pentecostes (2Ts 2.7,8; Ef 4.30). Por conseguinte, novamente, estará em pessoas determinadas; estas cumprirão os desígnios do Senhor, a saber, nos 144 mil (Ap 14.2; 7.4-8), que pregarão nos primeiros três anos e meio, e nas 2 testemunhas (Ap 11.3-11). Uma vez que o Corpo de Cristo seja trasladado aos Céus, o ministério do Santo Espírito voltará a ser aquele que tinha para com os crentes do período do Antigo Testamento. Sua função de restringir o progresso do mal, mediante o Corpo de Cristo (Jo 16.7-11; 1Jo 4.4), há de cessar, tal qual cessou o Seu ministério de contender com os antediluvianos (os homens anteriores ao dilúvio, nos dias de Noé – Gn 6.3), que, pertinente à este texto sagrado, a Tradução Brasileira assim expõe: Então disse Jeová: O Meu Espírito não permanecerá para sempre no homem; por causa do seu errar... Por esse acontecimento, o inferno, literalmente, virá à terra quando da vinda à tona do Anticristo, no início da Tribulação.

 

Haverá salvação nesse tempo?

           Sim! Nos últimos três anos e meio far-se-á um sinal que, só através dele, os homens poderão comprar e vender (Ap 13.16-18). Ficará em lugar visível: na testa ou na mão direita. Quem rejeitar a marca da Besta sofrerá devido à perseguição das tropas do Anticristo em todos os países. Ocorrerá “aflição horrenda qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo” (Dn 12.1). Todos os meios para matança serão usados. Como são dias jamais vistos, comparamo-los piores do que os tempos da Inquisição da Igreja Católica! E mais: comparamo-los piores que quaisquer tipos de tortura existentes. Os homens que se recusarem a ser selados com a marcação da Besta-fera, a fim de que, por meio dela, possam negar o Filho do Eterno Deus, morrerão aos poucos: arrancando unhas, decepando partes do corpo, extraindo órgãos a sangue-frio, mediante perfurações, cortes profundos; usarão máquinas de choque eletromagnéticas, por fim, o degolamento (Ap 20.4). Contudo, nossas palavras são incompletas para descrever o horror que serão aqueles dias! No entanto, os que rejeitarem o sinal da Besta, aguentarem tais instrumentos de infusão de horrendas mortandades e permanecerem fiéis ao Senhor, morrerão, mas sairão salvos da Grande Tribulação (Ap 7.9-17, Almeida Corrigida Fiel, grifo acrescido).