©  by IFAP. All rights reserved.

Por Johny Mange

 

Conclusão

                Longe de nossa fé ser fundamentada nas citações dos Pais da Igreja. Elas podem, portanto, confirmar o relato bíblico, sem jamais irem além do que esteja registrado nas Escrituras (1Co 4.6; Hb 1.1). Além de tudo, a doutrina unicista (que nega as Três Pessoas Divinas numa só Divindade) e o batismo apenas “em nome de Jesus”, atualmente, são uma extensão do sabelianismo (do século III) e fazem parte da doutrina do espírito do Anticristo — profetizada para o final dos tempos —, pois eles não se sustentam; de quebra, sempre seus adeptos, usados por Satanás, a caso de propagarem esse ensinamento maldito e condenatório, usam de subterfúgio e adaptam a história — interpolando escritos de historiadores da Igreja e usando as enciclopédias como lhes convêm: Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; e aquele que confessa o Filho, tem também o Pai. Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai (1Jo 2.22-24).

               Até mesmo as músicas que são cantadas por grupos unicistas, como exemplo, o “Voz da Verdade”, não honram o único e verdadeiro Deus subsistente em Três Pessoas distintas (Pai, Filho e Espírito). Quando cantam “Deus”, “Jesus” ou “Espírito Santo” nunca será como a Bíblia os apresenta — Três Pessoas distintas — mas, em tais músicas, segundo a doutrina do grupo modalista, são referidos como “modos” ou “manifestações” de um só ser. Isso é sabelianismo, doutrina do Diabo! O Senhor abomina essas músicas, pois vão contra a natureza dEle; por conta disso, Ele não as recebe! (Am 5.23; Mt 15.8; Is 29.13).

               Igualmente, o batismo efetuado só “em nome de Jesus” é inválido, herético e defraudador das Santas Escrituras, já que desrespeita — usando de subterfúgios e sofismas — a ordem do Filho de Deus, e a maioria de seus expositores na atualidade ministram-no porque negam a Santíssima Trindade.

               O batismo correto, no entanto, é o trinitário, porquanto foi ordenado pelo Cristo de Deus: E chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado...  (Mt 28.18-20).

 

 

Voltar à Página Principal

 

Bibliografia

 

[18] Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa, p. 1883.

 

[19] BEASLEY-MURRAY, G. R. Baptism in the New Testament. Grand Rapids, MI: Eerdmans, 1988, p. 82.

 

[20] MORRIS, Leon. Matthew in The Pillar New Testament Commentary. Eerdmans, 1992, ad loc, Matthew 28.19. Disponível em: <http://www.e-cristianismo.com.br/en/apologetics/110-mateus2819>.

 

[21] GEISLER, Norman; NIX, William. Introdução Bíblica: Como a Bíblia chegou até nós. 5.ª imp. São Paulo: Vida, 2003, pp. 109,150,153.

 

[22] Grande Enciclopédia Barsa (18 Volumes) — Vol. 2. 3.ª Ed. São Paulo: Barsa Planeta Internacional Ltda., 2004, pp. 376,377.

 

[23] Enciclopédia Britannica, 2014 (on-line). Disponível em: <http://global.britannica.com/EBchecked/topic/52311/baptism>. Acesso em: 6 ago. 2014. Traduzido do inglês.

 

[24] Enciclopédia Merriam-Webster (on-line). Disponível em: < http://www.merriam-webster.com/concise/baptism?show=0&t=1407301822>. Acesso em: 6 ago. 2014. Traduzido do inglês.

 

[25] Grande Dicionário Sacconi da Língua Portuguesa, p. 2004.

 

[26] GONÇALVES, Josué. Defendendo o Verdadeiro Evangelho. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p. 157, adaptado.

 

[27] CONDE, Emílio. Tesouro de Conhecimentos Bíblicos. 7.ª Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 344.

 

[28] ANKERBERG, John; WELDON, John; BURROUGHS, Dillon. Os Fatos Sobre a Bíblia. Porto Alegre: Actual Edições, 2011, pp. 23,24, adaptado.

 

[29] História da Wikipédia. In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2014. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Hist%C3%B3ria_da_Wikip%C3%A9dia&oldid=39735979>. Acesso em: 7 ago. 2014.

        PRESSE, France. Wikipédia seria "quase" tão precisa quanto Britânica. São Paulo: Folha de São Paulo. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u19402.shtml>. Acesso em 7 ago. 2014.

 

[30] BERGSTÉN, Eurico. Teologia Sistemática. 4.ª Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 13.

 

[31] Bíblia de Jerusalém. São Paulo: Paulus, 2002, p. 1.758, nota de rodapé de Mateus 28.19.

 

[32] Bíblia de Jerusalém, p. 1.904, nota de rodapé de Atos 2.38.

 

[33] Resposta às Seitas, p. 213.

A Fórmula Batismal e o Desmoronamento da Doutrina Unicista