©  by IFAP. All rights reserved.

Avivamento: O Retorno Bendito

        

Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós (Tg 4.8).

 

       Sem dúvida, a Igreja de hoje necessita de um sério despertamento espiritual. De maneira diferente do que ouvimos atualmente sob o nome de “avivamento” — em que falsamente os tais propaladores acham que estão imersos numa profunda renovação espiritual —; todavia, sob a ótica de Deus, uma só palavra pode explicar o que realmente significa avivamento: “retorno”. Retorno é olhar para as veredas antigas e tornar a andar por elas (Jr 6.16). Assim sendo, avivamento é o retorno à fé dos primeiros cristãos, aos princípios da Igreja Primitiva, à leitura e à obediência da Escritura, à fervente oração contínua, ao jejum, à busca do poder glorioso do Espírito perante uma geração perversa, aos hinos sacros que tão só exaltam ao Senhor Jesus e cantam a Palavra de Deus, às experiências inefáveis do veraz Cristianismo, à santidade em todas as formas da vida, à luta contra as falsas doutrinas, à caridade, à evangelização nas praças, nas ruas, nas feiras, nas casas, etc. Portanto, o genuíno avivamento faz a Igreja tomar a Sua parte na Terra como Organismo vivo de Cristo, e não como uma simples “organização”.

         É lindo e deleitoso ouvirmos falar de avivamento, porém — para que ele desça — é necessário nos sentirmos inconformados com a nossa situação: somos uma vergonha diante dos apóstolos, dos cristãos primitivos e do que Deus tem para nós! É necessário — com afinco — termos uma transformação de hábitos, de costumes e em todas partes da vida. É preciso nos arrependermos e sentirmos o próprio pecado. São necessários o quebrantamento e as lágrimas, sem eles não existe avivamento! É preciso fazermos um conserto com o Todo-Poderoso em todas as áreas, pois Elias consertou o altar antes de o fogo descer! (1Rs 18.30). Devemos ter intenções sérias e respeito profundo ao Deus da Bíblia, já que apenas de colocarmos no coração de obter avivamento dos céus, as legiões de demônios atacar-nos-ão como nunca nos atacaram até aos dias de hoje... A fé e a perseverança devem ser aos mil! A oração, a Palavra e o temor devem estar ligados, pois jamais haverá avivamento celeste sem tais coisas. O avivamento dar-nos-á uma mensagem tão poderosa que as almas serão atraídas pelo poder do Espírito Santo que há de ser notório em nós. O que é difícil atualmente se tornará fácil: as almas serão regeneradas através do abrir de nossa boca, o Espírito fruirá como rio de águas vivas dentro delas!

        O avivamento abarca a si a pregação contra as heresias, as falsas religiões, o intelectualismo gelado e carnal, o mundanismo e o pecado — deste modo fizeram os apóstolos do Cordeiro (Fp 1.16). Jerônimo Savanarola (1452-1498) recebeu o avivamento, de sorte que pregava com tanta fé contra o pecado e dava ênfase à pureza e à santidade que as mulheres largavam o uso de joias, de pinturas e passavam a trajar-se com simplicidade e portar-se como salvas, os moços depravados e bêbados eram transformados em pessoas sóbrias! Savanarola denunciava corajosamente as imoralidades dos papas e as doutrinas pagãs e exóticas do Romanismo. As praças e as igrejas enchiam-se para vê-lo ministrar destemidamente! Aleluia! Quando nos despertarmos do sono espiritual, das horas desnecessárias e vãs na Internet e no WhatsApp, alguns tirarem definitivamente a TV de suas vidas (porque também só os afastam de Deus), as mulheres dos salões de beleza (que, na maioria dos casos, atentam contra a modéstia e a santidade do corpo), os jovens da academia (a ser “fortões” — objetivo de estímulo sexual aos outros), as igrejas e os pregadores saírem do Facebook e do Twitter sob o falso pretexto de evangelizar (ao invés de ir às ruas), etc.; na certa, todos os que assim fizerem  — a reconhecer que estão errados de fato, e seguirem os passos para obtenção de um avivamento, receberão um poder sobrenatural do Espírito igual aos apóstolos! Seremos outros cristãos! Agitaremos o mundo! Abalaremos essa geração! Cravaremos o nosso nome na história! Viveremos, realmente, o que o Senhor Jesus preparou para nós. Seremos a verdadeira Igreja lavada e santificada pelo sangue do Cordeiro.

     Disse Leonard Ravenhill (1907-1994): “Quando vier aquele avivamento enviado por Deus, direto dos céus, em poucas semanas desfará os males que o pernicioso modernismo levou anos elaborando. E quando soprar a ventania do Espírito, os enganosos doutores em divindade verão derrubar-se a casa que edificaram sobre a areia: as interpretações humanas da Bíblia”.

 

 

Johny Mange